Páginas

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Ônibus da Justiça Itinerante passa a atender em Vila de Cava

Por: ASCOM
Ônibus da Justiça Itinerante passa a atender em Vila de Cava
O Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro inaugura na próxima segunda-feira, dia 3 de novembro, às 10h, um posto da Justiça Itinerante em Vila de Cava, Nova Iguaçu. A solenidade que acontece na Praça Vila de Cava, s/nº, próximo ao Cartório de Registro Civil de Pessoas Naturais, 3º Distrito, contará com a presença do prefeito Nelson Bornier, além de autoridades do poder legislativo.

A população poderá ter acesso a serviços gratuitos como a correção de registro de nascimento ou casamento; inserção de nome de pai e mãe na certidão de nascimento; transformar sua relação em união estável; converter separação em divórcio; solicitação de tutela; pedidos de pensão ou reclamação de serviços não atendidos, por exemplo.

Este ano, o serviço estará disponível em Vila de Cava nos dias 3, 10, 17 e 24 de novembro e 1º e 15 de dezembro. Não haverá atendimentos de 20 de dezembro de 2014 a 6 de janeiro de 2015, período de recesso e manutenção do ônibus, além dos feriados e pontos facultativos.


SERVIDORES DE NOVA IGUAÇU RECEBEM DIA 1º

SERVIDORES DE NOVA IGUAÇU RECEBEM DIA 1º
O  pagamento dos salários dos servidores de Nova Iguaçu, referente ao mês de outubro, estará disponibilizado neste sábado, dia 1º. A folha de pagamento, de cerca de R$ 50 milhões, beneficia os servidores ativos, inativos, pensionistas, contratados, comissionados e concursados da administração direta e indireta. Também estão incluídos funcionários da Emlurb, Previni, Fenig, Codeni e Hospital da Posse. 

Estrada Real do Comércio a 1ª Estrada Aberta do Brasil para transporte de grãos

Minha última excursão à Estrada em 2009 (direita em uniforme camuflado) a 1.200 metros de altitude.
Da pra ver o calçamento "Pé de Muleque" feito pelos escravos sob o comando do Coronel Engenheiro Conrad Jacob Niemayer
Estrada Real do Comércio
O que sobrou do Porto Iguassú
Por Wandemberg
Série: De Certa feita...
A Estrada Real do Comércio pode ser considerada como a 1ª Estrada Aberta para Transporte de Grãos do Brasil, ou, ainda, mais especificamente, como a 1ª Estrada do Café no Brasil. Todo café cultivado no “Alto Paraíba”, bem como nas cidades que margeavam o Rio Paraíba do Sul, que tinha destino a portos europeus, em especial à Inglaterra passava nas serranias de Tinguá pela Estrada Real do Comércio fazendo conexão em portos do Rio Iguassú (nove ao todo), principalmente, no Porto de Iguassú. 

O Porto Iguassú, provavelmente, era o mais bem apetrechado dentre os demais portos do Rio Iguassú - era cercado por grande número de armazéns que garantia a vida útil aos produtos que, atravessavam a serra no lombo de burros e, aguardavam seu momento para embarque nos navios, protegidos das intempéries. 

Para Conhecer 
Os que queiram visitar o que sobrou da Estrada e do Porto de Iguassú encontrarão os dois no bairro Iguaçu Velho (aqui em Nova Iguaçu - RJ), mais precisamente, no Sítio do Sr. Alan. O porto do Iguassú não fica situado à beira do rio Iguassú, como seria de se supor, e, sim no referido sítio. De um alagado saía o riacho Lava Pé, que enveredando pelo Córrego Mangangá, ia ter no Rio Iguassu, que não é mais rio e sim um canal, dada as mudanças que sofreu no final do século XIX em função da, fatídica, 'Cólera Mórbus' que dizimou grande parte da população local, sobretudo, dos afro descendentes, já nos dias finais da escravatura no Brasil. 
Faluas
Para combater a doença resolveu-se acabar com o ‘serpenteamento' do leito do rio, que facilitava à insalubridade, transformando-o em um canal. As embarcações de maior porte ao tramitar a mercadoria aguardavam no Rio, enquanto as 'Faluas' (barcos de fundo chato impulsionada por longas varas de bambu que os barqueiros usavam como alavanca dando impulso ao encostar sua base ao fundo do córrego de curta 'lâmina' d’água.   
Por sinal a Estrada começa nas proximidade do Porto. Em 1858 perdeu sua importância em função da criação da Estrada de Ferro Dom Pedro II.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

MPB no TopShopping

David Paiva
MPB no TopShopping
O TopShopping preparou uma animada programação musical para agitar o palco do shopping. Nesta quinta-feira, dia 30 de outubro, às 19 h, o cantor David Paiva realiza um show de voz e violão repleto de sucessos da MPB. A apresentação acontece na praça de alimentação, no segundo piso. A entrada é gratuita!

O TopShopping está localizado na Av. Governador Roberto Silveira 540, Centro – Nova Iguaçu. Telefone: (21) 2667-1787.

Programa do Crack desafia alunos a escrever livro sobre prevenção às Drogas

A superintendente de Prevenção ao Uso de Drogas e Outras Situações de Risco, Aline Medeiros, com o material da Editora ZIT que foi entregue aos alunos contendo informações sobre as drogas
Vangi Souza, autor do livro “Um Tirano Chamado Fumo”, compartilhando suas experiências com os estudantes
Por: ASCOM Fotos: Alziro Xavier
Programa do Crack desafia alunos a escrever livro sobre prevenção às Drogas
Alunos do segundo segmento do Ensino Fundamental das 42 escolas municipais de Nova Iguaçu receberam nesta sexta-feira, (24), no auditório Silvio Monteiro, a notícia de que terão a oportunidade de serem escritores pela primeira vez. A iniciativa tem a ver com o Programa de combate às Drogas, “Crack, é possível vencer!”, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Governo em parceria com a Secretaria Municipal de Educação.

Os 42 alunos selecionados pela unidade escolar terão a oportunidade de registrar o seu olhar sobre a prevenção às Drogas, ajudando na pesquisa, na escrita e na coleta do material. O livro será produzido através da parceria entre a Prefeitura da Cidade de Nova Iguaçu e a Editora ZIT.

Para que os estudantes entendam como funciona o processo da criação de um livro, no dia 5 de novembro eles irão à Editora ZIT, em Bonsucesso, acompanhados dos professores. Para a superintendente de Prevenção ao Uso de Drogas e Outras Situações de Risco, Aline Medeiros, esta é uma oportunidade para esses adolescentes. “Eles vão nos ajudar muito com a disponibilidade e o envolvimento para criação deste material. Nosso objetivo maior é que ele sirva como pesquisa e volte para as escolas”, comenta a superintendente.

Durante este encontro, além de saber do novo desafio que terão à frente, alunos de 10 a 15 anos puderam expressar de diferentes formas o que pensam sobre as drogas: “A droga é uma escolha”, “Precisam investir mais em nossas talentos para tirar o foco das coisas ruins”, “Falta incentivo”, “A família precisa cuidar mais”. Ao final do debate, eles ainda puderam ouvir as experiências compartilhadas pelo autor do livro “Um Tirano Chamado Fumo”, Vangi Souza.

Para o estudante Antônio Pedro da Escola Municipal Professor Iramar da Costa Lima Miguel, a palestra foi uma oportunidade para expor suas opiniões. “Eu amo a minha escola por proporcionar a nós atividades como essa”. Precisamos de projetos que melhorem a vida das pessoas”, comenta o estudante.

Dada a largada para os alunos, o livro será lançado em 5 de dezembro de 2014.

Lançamento do Livro do Padre Renato Chiera na ALERJ


Lançamento do Livro do Padre Renato Chiera na ALERJ
Dia: 04/11/14. Horário: 11 horas. Local: ALERJ
End.: Palácio 23 de Julho, Rua Dom Manoel, s/nº - Praça XV - Centro, Rio de Janeiro – RJ

Por que ler: As “cracolândias” estão surgindo como uma das atuais chagas das metrópoles brasileiras, ante as quais os poderes públicos não sabem como agir. Fenômeno entrelaçado com a exclusão social, tráfico de drogas, marginalização e violência, as muitas tentativas de abordagem dos dependentes do crack – dispersão, internação forçada, “cercadinhos” etc. – têm sido muito mais “faxinas” e paliativos do que solução.

Há dois anos, Renato Chiera visita semanalmente algumas “cracolândias” no Rio de Janeiro. De sua convivência com os drogados nasceu um trabalho que visa a ir à raiz do problema, a ser uma presença – de amor, inclusão, oportunidades – naquele ambiente.

O livro: Renato Chiera narra sobre o trabalho que desenvolve junto às “cracolândias” do Rio de Janeiro, em especial a da Favela de Manguinhos e ao longo da avenida Brasil. Depositário das confidências de adolescentes, jovens e adultos dependentes do crack, muitas delas retratadas no livro, o Autor identifica as possíveis causas do fenômeno em carências de amor e afeto familiar dos “cracudos” e a exclusão violenta deles, avalia as atuais políticas públicas para enfrentá-lo, faz uma reflexão sobre como a sociedade e a Igreja lidam com ele e propõe um caminho, percorrido e abalizado pela instituição que ele fundou, a Casa do Menor São Miguel Arcanjo.

Público: políticos, agentes sociais, líderes das Igrejas e público interessado no tema em geral.

 O autor: Renato Chiera (1942- ), sacerdote italiano que adotou a Baixada Fluminense como sua terra, há mais de trinta anos dedica-se à causa dos meninos de rua. Atua numa comunidade da periferia de Nova Iguaçu (RJ). Fundou, com apoio de uma vasta rede de solidariedade, a Casa do Menor São Miguel Arcanjo, que tem como objetivo assegurar a crianças e adolescentes de rua o efetivo exercício do direito à vida, à dignidade e à plena cidadania. É autor de Filhos do Brasil (1996) e Presença (2008), publicados pela Editora Cidade Nova

Lançamento: O livro será lançado, em 04 de Novembro de 2014, às 11h00, na Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ), com uma conversa do Autor com o público sobre sua experiência nas “cracolândias”.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Centro de Nova Iguaçu ganha novas mudas de árvores

Ao todo, foram plantadas nove mudas de oiti na região do shopping a céu aberto

Por: ASCOM Fotos:Thiago Loureiro
Centro de Nova Iguaçu ganha novas mudas de árvores
A Secretaria de Urbanismo, Habitação e Meio Ambiente de Nova Iguaçu iniciou, nesta terça-feira (28-10), o replantio de mudas nas principais ruas do Centro. A primeira foi a Luiz Guimarães (antiga 13 de Maio), que recebeu nove mudas de oiti, medindo cada uma 4,5 metros de altura. A iniciativa faz parte do projeto Cidade Mais Verde, que é coordenado pela Superintendência de Áreas Verdes.
O superintendente de Áreas Verdes, Luney Martins, explicou que um dos objetivos do replantio de árvores é reduzir o calor no Centro da Cidade. Ele destacou que as mudas foram plantadas na área do shopping a céu aberto. “No total são 33 mudas. As outras 24 serão colocadas aos poucos. Quero enfatizar que as árvores não irão atrapalhar os letreiros das lojas”, disse.

Luney Martins informou ainda que está sendo feito replantio também em outros bairros como: Metrópole, Vila Nova, Jardim Iguaçu, Santa Eugênia, Bairro da Luz, Monte Líbano, Jardim Tropical e Rodilândia. Nestes locais as mudas são de espécies como pata-de-vaca, ipê amarelo, aroeira e sibipiruna, entre outras.

O secretário municipal de Urbanismo, habitação e Meio Ambiente, Giovanni Guidone, revelou que,  em menos de dois anos de governo, foram plantadas cerca de cinco mil mudas até agosto. “Mais 20 mil deverão ser plantadas até o final de 2016”, resumiu Guidone.

O morador que desejar mudas de árvores para replantio pode fazer o pedido pelo email sav.pcni@gmail.com ou pelo telefone 3770-5990.