Páginas

quinta-feira, 23 de março de 2017

Iguassú morre e Maxambomba vira cidade

Foto do historiador Ney Alberto

Ney Aberto (In Memoriam)
  Iguassú morre e Maxambomba vira cidade
 Depois de milhares de indígenas chacinados, os assassinos e descendentes ganham terras (sesmaria). Em 1692, Martins Correa Vasqueanes, recebe uma porção de terras (serra e baixada), fundando dois engenhos (aguardente - açúcar): O de Maxambomba (origem de Nova Iguassú) e o de Cachoeira (origem de Mesquita). Ambos. No território da Freguesia (Paróquia) de Santo Antônio de Jacutinga. Em 1833 integrou o município de Nova Iguassú. A ferrovia - implantada por causa do café – (“Central do Brasil”, na República), cortou as terras dos citados engenhos (Fazendas), à época, extinguindo trechos de florestas e canaviais (1858).
  Em Maxambomba foi instalada uma estação à margem direita da estrada de Iguassú.
  Em 1891, ano que aparece em nosso Brasão-Bandeira, acontece o falecimento da Vila do Iguassú e o surgimento de Maxambomba. Neste ano, às pressas, a Administração Estadual eleva o Arraial de maxambomba à categoria de Vila (1º de maio) e, em junho(dia19), a Vila é elevada à Cidade. No dia seguinte (20), com a presença do Governador Portella, a nova sede (“capital”) do município em Maxambomba, foi instalada. Assim, o governo municipal saía da beira do rio Iguassú para ficar de cara pro trem. O presidente da Câmara de Vereadores (ainda não havia prefeitura) era o tenente-coronel (Guarda Nacional) Pedro Rodrigues dos Santos França e Leite. À solenidade compareceram jornalistas de alguns importantes órgãos de imprensa: Correio do povo, Jornal do Brasil, Gazeta de Notícias, que devem ter publicado informações , ainda não pesquisadas.
  Só em 1897, a nova sede recebeu na mesma edificação, cadeia – Fórum - Quartel da força pública, situada de frente para a Estrada do Iguassú (desde 1931, com a denominação de Rua Dr. Getúlio Vargas, no Centro). Só em 1908, graças ao dinamismo de Bernardino de Mello, a Câmara Municipal ganhou sua sede própria, a Avenida Marechal Floriano, de frente para a ferrovia. Nossos dois primeiros edifícios públicos foram demolidos.

Tecnologia de Ponta
Para ler o 1º jornal On Line da Baixada Fluminense, siga a faixa laranja à direita, até o topo, e, clique na capa miniatura. Aguarde uns segundos, e, após abri-la, para aumentar a dimensão, use o 'mause' numa bolinha sobre linha horizontal, fazendo com que corra para a direita . Depois é só correr o mause nos quadrantes das páginas. Para mudar de página clique nas setas ao lado as páginas.

quarta-feira, 22 de março de 2017

FIRJAN leva moda da Baixada Fluminense para salão de negócios em outros estados

Joana Barros Braga Mineiro 
FIRJAN leva moda da Baixada Fluminense
para salão de negócios em outros estados
Objetivo da iniciativa é promover acesso a novos mercados em diferentes regiões do país, com eventos em Brasília, Ribeirão Preto e Recife
 Com a proposta de fortalecer e aquecer o setor de moda do estado, a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) promove o Moda Rio Negócios. A primeira rodada do evento será realizada em Brasília, Ribeirão Preto e Recife, entre os dias 26 de março e 6 de abril, com foco nos varejistas e atacadistas dessas regiões.
 A empresa da Baixada Fluminense Cheval, em Magé, do segmento de vestuário masculino, participa da iniciativa, que também vai contar com representantes de vestuário feminino, acessórios, moda praia e joias folheadas e bijuterias, incluindo algumas fornecedoras de grandes grifes brasileiras.
  “A proposta é apoiar as empresas na geração de negócios promovendo o acesso a diferentes mercados do país. Os eventos vão reunir produtos de alta qualidade, diferenciados, com design e valor agregado traduzindo o lifestyle carioca. É uma ótima oportunidade para as indústrias do Rio firmarem parcerias comerciais para que seus produtos sejam vendidos em várias partes do Brasil, movimentando a economia e desenvolvendo o setor em nosso estado”, diz Ana Carla Torres, coordenadora de Moda da Firjan.
 Além da possibilidade da conquista de novos lugares do país para se fazer negócios, as indústrias participantes do evento receberam consultorias especializadas em produtos de moda. Durante a realização do salão de negócios nas três cidades, os empresários ainda vão poder participar de duas palestras: “A loja que vende – como vender mais no atual momento do varejo de moda”, com Silvio Chadad, e “Direcionamento criativo para o verão 2017/2018”, com Aldo Abreu. 
 Mais informações sobre o evento e fotos de alguns dos produtos que estarão expostos podem ser conferidos no site www.firjan.com.br/modarionegocios

Moda carioca é sucesso no mundo
 O valor da moda do Rio de Janeiro pode ser comprovado pelos números de exportações de suas empresas do setor, que totalizaram US$ 27,2 milhões em 2016. De acordo com os números dos grupos Tecidos, Confecção, Calçados, Bolsas e Acessórios, o Rio apresentou o maior preço médio por quilo exportado dentre todos os estados do país. O preço médio por quilo da moda do Rio é 24% maior que o restante do país.
 No segmento de moda praia, por exemplo, desde 2012 o estado do Rio se tornou o maior exportador do país ao ultrapassar São Paulo, que historicamente liderava o ranking. Desde então, mantém a primeira posição, aumentando sua participação nas vendas externas de 39% em 2011 para 47% em 2016. Nos últimos quatro anos, enquanto as exportações fluminenses da cadeia da moda recuaram, o segmento de moda praia teve aumento de 15% nas exportações, registrando US$ 5,1 milhões de vendas de produtos de moda praia em 2016.

Tecnologia de Ponta
Para ler o 1º jornal On Line da Baixada Fluminense, siga a faixa laranja à direita, até o topo, e, clique na capa miniatura. Aguarde uns segundos, e, após abri-la, para aumentar a dimensão, use o 'mause' numa bolinha sobre linha horizontal, fazendo com que corra para a direita . Depois é só correr o mause nos quadrantes das páginas. Para mudar de página clique nas setas ao lado as páginas.


Domingo de diversão gratuita no Shopping Nova Iguaçu Brincadeiras ao ar livre e Teatro Infantil no Palco do Shopping

 Por: Thayse Schettino
Domingo de diversão gratuita no Shopping Nova Iguaçu
Brincadeiras ao ar livre e Teatro Infantil no Palco do Shopping
  No próximo domingo (26), a partir das 13h, o Shopping Nova Iguaçu aproveita a área livre do estacionamento para trazer mais lazer e entretenimento para a Baixada Fluminense. O “Domingo no Shopping” evento inédito, transformará o empreendimento em uma grande praça de atividades e diversão - uma experiência lúdica para toda a família -  com a segurança que um shopping oferece. Haverá brinquedos como tobogã, jump, cama elástica, foodbikes de picolé, pipoca, churros, cachorro quente e doces que a criançada adora, além de muita música ao longo do dia.  A entrada ao evento é gratuita e o estacionamento tem o preço fixo de R$8,00.
E, para curtir ainda mais traga sua bicicleta, seus patins e venha se divertir na mais nova área de lazer de Nova Iguaçu!
 Para fechar o domingo com chave de ouro, às 16h, acontece no Palco do Shopping Nova Iguaçu o teatro infantil “Poropopó” –  da Companhia Será o Benedito?!

Sinopse:
Uma Família de Palhaços, juntos realizam números e reprises clássicas da palhaçaria mundial e mantem vivo o jogo cômico das duplas e trios além de reviver as cenas do Circo tradicional, revelando com um humor ingênuo uma grande brincadeira e diversão para o público de todas as idades.  Com gags, reprises de palhaços, números tradicionais e a relação da família nas cenas, eles mostram o melhor de si, mas, como bons palhaços são mais atrapalhados do que habilidosos. 

SERVIÇO:
DOMINGO NO SHOPPING (brincadeiras ao ar livre com cama elástica, tobogã, jump, food bikes)
Local: Estacionamento do Shopping Nova Iguaçu - Av. Abílio Augusto Távora, 1.111 -  Nova Iguaçu (antiga Pedreira). Tel.: (21)3812-1999
Data: 26/03/2017
Horário: 13h
Classificação Indicativa: Livre
Evento com entrada gratuita.
Estacionamento: R$8,00 pelo dia todo

TEATRO INFANTIL: POROPOPÓ
Local: Palco Shopping Nova Iguaçu – Praça de Alimentação – Piso P2
Av. Abílio Augusto Távora, 1.111 -  Nova Iguaçu (antiga Pedreira). Tel.: (21)3812-1999
Data: 26/03/2017
Horário: 16h
Estacionamento no local
Classificação Indicativa: Livre
Evento Gratuito


Tecnologia de Ponta
Para ler o 1º jornal On Line da Baixada Fluminense, siga a faixa laranja à direita, até o topo, e, clique na capa miniatura. Aguarde uns segundos, e, após abri-la, para aumentar a dimensão, use o 'mause' numa bolinha sobre linha horizontal, fazendo com que corra para a direita . Depois é só correr o mause nos quadrantes das páginas. Para mudar de página clique nas setas ao lado as páginas.

Abaixo-assinado contra o fechamento do Hospital da Posse é protocolado no MP

Abaixo-assinado contra o fechamento do Hospital da Posse é protocolado no MP
 Na última quinta-feira (16), o líder comunitário Denilson Marques, de 46 anos (foto), protocolou no Ministério Público, o abaixo-assinado com mais de 10 mil assinaturas, colhidas em diversos bairros do município, que reivindica o não fechamento do Hospital Geral de Nova Iguaçu, conhecido como Hospital da Posse, que atualmente funciona de forma precária devido ao excesso de atendimentos somados à falta de repasses de recursos do Governo do Estado e do Ministério da Saúde.
 Apesar de municipalizado desde 2002, o Hospital da Posse atende pacientes de toda Baixada Fluminense, além de vítimas de acidentes na Rodovia Presidente Dutra e outras rodovias estaduais.
 O acordo firmado quanto a municipalização da unidade foi que foi 70% dos recursos viriam do Governo Federal, sendo completo por 15% do Governo do Estado e mais 15% do município. Sendo que, segundo Denílson, o estado não tem repassado a sua parte e já acumularia uma dívida em torno de R$ 28 milhões com o HGNI. Ainda segundo o militante de causas sociais, Ministério da Saúde tem repassado apenas R$ 8 milhões/mês, quando na verdade, o valor correto seria de R$ 14 milhões/mês.
"Estou fazendo a minha parte como cidadão e acredito que Ministério Público, coerentemente, acate o nosso pedido e entre com Ação Civil Pública, determinando que o Governo Federal cumpra o que foi acordado. Nosso próximo passo será ir até Brasília, cobrar pessoalmente ao Ministério da Saúde, as devidas verbas para o Hospital da Posse, evitando assim o fechamento desta importantíssima unidade hospitalar de nossa região. Não podemos ficar omissos!", disse Denílson.
 "O Hospital realizava 4 mil atendimentos por mês, atualmente esse número ultrapassa 10 mil pacientes/mês. Por isso, para pra funcionar na sua totalidade o HGNI precisa de R$ 20 milhões/mês. Quero ressaltar que o diretor da unidade, Dr. Joé Sestello, não tem medido esforços manter o funcionamento o funcionamento do Hospital e buscando recursos, porém, a caos instaurado no Hospital da Posse, está chegando a uma situação insustentável", completou a liderança. 

Tecnologia de Ponta
Para ler o 1º jornal On Line da Baixada Fluminense, siga a faixa laranja à direita, até o topo, e, clique na capa miniatura. Aguarde uns segundos, e, após abri-la, para aumentar a dimensão, use o 'mause' numa bolinha sobre linha horizontal, fazendo com que corra para a direita . Depois é só correr o mause nos quadrantes das páginas. Para mudar de página clique nas setas ao lado as páginas.

Semana do Consumidor é sucesso na OAB Nova Iguaçu

Por: Rafael Marinho
Semana do Consumidor é sucesso na OAB Nova Iguaçu
No último dia 15, foi comemorado o Dia Internacional do Consumidor, por isso, a Comissão de Defesa do Consumidor da 1ª Subseção OAB Nova Iguaçu/Mesquita, promoveu um ciclo de palestras direcionado a advogados e a estudantes de direito, falando sobre o tema Direito do Consumidor.
 Logo no primeiro dia de evento, na segunda-feira (13) pode-se perceber que seria um enorme sucesso, pois o auditório da subseção ficou completamente lotado, com mais de 100 espectadores, que para assistiram uma brilhante palestra ministrada pelo Dr. Miguel Barreto com o tema: 'A Indústria do Mero Aborrecimento' que notavelmente, prendeu a atenção de todo público presente.
 Já na terça-feira (14), foi a vez da Dra. Rosani Leite de Carvalho, palestrar sobre A Urgência da MP 764/2016 e seus efeitos. A medida provisória autoriza os estabelecimentos comerciais a praticarem preços diferentes conforme a forma e prazo para o pagamento.
 Na quarta-feira (15), #DiaDoConsumidor, foi oferecida a palestra A Criação do CDC (Código de Defesa do Consumidor e Seus Impactos), com o professor Dr. Fábio Pereira.
 Na quinta-feira (16), foi ministrada a palestra 'Um ano de CPC (Código Processual Civil) e Impactos nas Relações de Consumo, com o Dr. Guilherme Peres De Oliveira.
 E, finalizando a semana do consumidor na OAB Nova Iguaçu, na sexta-feira (17), foi ministrada a palestra 'Aspectos Jurídicos Polêmicos da era do Consumidor Social' com a Dra. Tereza Papa.
 O Ciclo de Palestras em Comemoração ao Dia do Consumidor contou com a presença de diversas conselheiros da subseção, além do presidente da Comissão do Direto do Consumidor Dr. Carlos Eduardo Parada e do seu vice, Dr. Cleber Oliveira; do presidente da subseção Dr Jorge Rosenberg, do vice presidente da subseção Dr. Hilário Franklin; do coordenador geral das comissões e secretário adjunto Dr. Orides Junior, Do tesoureiro da subseção Dr Andrey Braga do secretário da subseção Dr. Antonio Almeida, entre outros membros e colaboradores da comissão de defesa do direito do consumidor

 A 1ª Subseção OAB Nova Iguaçu/Mesquita fica na Rua Humberto Gentil Baroni, nº 137 - Centro, Nova Iguaçu - Telefone: (21) 2765-5500. https://www.facebook.com/oabni1subsecao


Tecnologia de Ponta
Para ler o 1º jornal On Line da Baixada Fluminense, siga a faixa laranja à direita, até o topo, e, clique na capa miniatura. Aguarde uns segundos, e, após abri-la, para aumentar a dimensão, use o 'mause' numa bolinha sobre linha horizontal, fazendo com que corra para a direita . Depois é só correr o mause nos quadrantes das páginas. Para mudar de página clique nas setas ao lado as páginas.

Empresas criativas se destacam no mercado produtivo fluminense, revela FIRJAN

Por: Joana Mineiro
Empresas criativas se destacam no mercado produtivo fluminense, revela FIRJAN
 Mapeamento da Indústria Criativa no Brasil confirma que, mesmo em período de crise, estado mantém os principais salários médios do segmento no país
 A concentração de empreendimentos de bens e serviços criativos no Rio de Janeiro em relação a toda a produção fluminense é, proporcionalmente, a maior do Brasil. O Rio possui 25 mil empresas que têm a criatividade como matéria-prima, o que corresponde a 5,5% de todas as empresas fluminenses. Essa participação é superior à média nacional de 3,7%.
 De acordo com a análise especial do “Mapeamento da Indústria Criativa no Brasil”, produzido pelo Sistema FIRJAN, a indústria criativa fluminense gerou uma riqueza de R$ 24,1 bilhões, o que corresponde a 15,5% do PIB criativo brasileiro.
 Em relação à remuneração dos trabalhadores do segmento criativo, o estado do Rio continua mantendo o protagonista no país. O rendimento médio dos profissionais criativos fluminenses foi de R$ 9.826 em 2015, acima da média nacional (R$ 6.270) e três vezes superior à média do mercado de trabalho fluminense (R$ 2.882).
 O Rio de Janeiro, com 99 mil profissionais atuando na indústria criativa, apresenta as maiores remunerações médias do país em seis dos 13 segmentos criativos: P&D (R$ 16.302), Arquitetura (R$ 10.155), Artes Cênicas (R$ 9.010), TIC (R$ 8.314), Audiovisual (R$ 6.453) e Patrimônio e Artes (R$ 6.219).
 Isso fica evidenciado com a promoção de grandes eventos como a Copa do Mundo de futebol e os Jogos Olímpicos somados a eventos tradicionais como Carnaval e Rock in Rio.  No Rio de Janeiro, as atividades das áreas de Cultura e Consumo se destacaram entre os anos de 2013 e 2015.
 O segmento Expressões Culturais teve um crescimento de 32,9% no período, consolidando o crescimento da gastronomia – ratificado pelo fenômeno da gourmetização e surgimento dos food trucks - e a música. Profissões como chefes de cozinha e de bar, além de músicos intérpretes instrumentais e tecnólogos em produção fonográfica registraram aumento de postos de trabalho. Apresentadores, decoradores de eventos, bailarinos e coreógrafos também ampliaram vagas no estado.
 Nos segmentos Moda e Design, o Rio de Janeiro replica as tendências do país com o crescimento da contratação de designers de produto (+54,2%), designers de moda (+28,2%) e perfumistas (+8,5%), confirmando a valorização de profissões com maior valor agregado. Também se destacaram o analista de pesquisa de mercado e o visual merchandiser, em Publicidade, com 1 mil novos postos de trabalho.
 É importante ressaltar que o Rio de Janeiro continua sendo o estado com maior concentração relativa aos criativos atuando em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), fato que se justifica pela ampla concentração de universidades e múltiplos institutos de pesquisa. No entanto, por conta do desaquecimento do setor da Construção Civil, a área de Arquitetura apresentou a maior queda (-17,5%) no período.

Interior fluminense
 Mesmo com a capital registrando 70% dos vínculos criativos, a cidade de Macaé, no Norte fluminense, destaca-se no segmento com 3,7% de toda a mão de obra local. O município apresenta um perfil profissional criativo muito específico: 76,4% dos trabalhadores atuam no segmento de P&D, o que se justifica pela configuração econômica da cidade, amplamente voltada para a atividade petroleira.

Indústria criativa cresceu 0,1% no país
 Conforme a quinta edição do “Mapeamento da Indústria Criativa no Brasil”, entre 2013 e 2015 a indústria criativa teve um incremento de 0,1% - avanço considerado relevante diante do encerramento de quase 900 mil postos no total do mercado de trabalho brasileiro (-1,8%). Como consequência do aumento de vagas neste período adverso, os criativos aumentaram a sua participação no mercado, reforçando seu papel estratégico na economia.
 O estudo da Federação das Indústrias do Rio avalia a área sob dois aspectos: mercado de trabalho e produção. Na abordagem sobre o mercado de trabalho são contemplados os profissionais criativos independente do local onde atuam, seja em estabelecimentos estritamente criativos, como nas agências de publicidade, ou em outras atividades econômicas, como os designers nas indústrias automotivas. Já a ótica da produção mostra o valor gerado pelas empresas criativas.
 Quando comparada à totalidade da economia nacional, a área também se mostra menos impactada diante do cenário de crise do período 2013-2015. A participação do PIB criativo estimado no Produto Interno Bruto brasileiro cresceu de 2,56% para 2,64%. Como resultado, a área criativa gerou uma riqueza de R$ 155,6 bilhões para a economia brasileira em 2015, valor equivalente à soma dos valores de mercado das marcas Facebook, Zara e L’oreal reunidas.
 Gerente de Indústria Criativa do Sistema FIRJAN, Gabriel Pinto destaca que em períodos de crise, inovar é essencial. Ele alerta que, após a recuperação econômica, é essencial que as empresas estejam preparadas e estruturadas para seguir em frente. “A indústria criativa pode ser essa saída porque contribui para a geração de negócios, valor e significado. O que nós queremos é impactar e conectar os elos produtivos e criativos de toda a cadeia”, explicou.
  Todo o Mapeamento da Indústria Criativa no Brasil pode ser acessado em www.firjan.com.br/economiacriativa . Neste endereço é possível consultar detalhes dos 13 segmentos criativos, divididos em quatro grandes áreas: Consumo (Design, Arquitetura, Moda e Publicidade), Mídias (Editorial e Audiovisual), Cultura (Patrimônio e Artes, Música, Artes Cênicas e Expressões Culturais) e Tecnologia (P&D, Biotecnologia e TIC).



Tecnologia de Ponta
Para ler o 1º jornal On Line da Baixada Fluminense, siga a faixa laranja à direita, até o topo, e, clique na capa miniatura. Aguarde uns segundos, e, após abri-la, para aumentar a dimensão, use o 'mause' numa bolinha sobre linha horizontal, fazendo com que corra para a direita . Depois é só correr o mause nos quadrantes das páginas. Para mudar de página clique nas setas ao lado as páginas.

Linha Amarela: Túnel da Covanca, no sentido Fundão, será interditado para manutenção

Por: Christian Baeta 
Linha Amarela: Túnel da Covanca, no sentido Fundão, será interditado para manutenção
             O túnel da Covanca, no sentido Fundão, ficará interditado, nesta quinta-feira (23) à noite, das 22h30 às 5h do dia subsequente, para verificação dos sistemas de controle de poluição do túnel e para manutenção de cabos de dados por parte de uma operadora de telefonia móvel. Durante o serviço, o trânsito será desviado para uma faixa reversível, que será operada no sentido Barra para passagem dos veículos.
            A concessionária LAMSA, que administra a via, orientará os usuários sobre a interdição nos Painéis de Mensagens Variáveis (PMVs) ao longo da via, site e em seu perfil no Twitter.