Páginas

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Orquestra Tubônica encerra seminário de plástico na Firjan

Por: Joana Barros Braga Mineiro 
Orquestra Tubônica encerra
seminário de plástico na Firjan
 Oriunda do Projeto Som+Eu, que beneficia cerca de 500  crianças e adolescentes, do bairro de Campos Elíseos, em Duque de Caxias, a Orquestra Tubônica é formada por parte desses jovens. Eles tocam instrumentos feitos com plástico, como violino de PVC, chinelofone, cortina de chaves, instrumentos de percussão, entre tantos outros. O objetivo é promover o conhecimento sobre os benefícios do plástico e conscientizar os jovens sobre a reciclagem e sustentabilidade, além de possibilitar o acesso mais fácil a esses instrumentos, já que eles se tornam mais baratos. A orquestra é patrocinada pela Braskem e encerrou ontem (22/11) o Seminário Setorial de Plástico, que reuniu as principais empresas fluminenses do setor na sede da Firjan.



********************************************************************************
Tecnologia de Ponta
Para ler o 1º jornal On Line da Baixada Fluminense, siga a faixa laranja à direita, até o topo, e, clique na capa miniatura. Aguarde uns segundos, e, após abri-la, para aumentar a dimensão, use o 'mause' numa bolinha sobre linha horizontal, fazendo com que corra para a direita . Depois é só correr o mause nos quadrantes das páginas. Para mudar de página clique nas setas ao lado das páginas

Saiba diferenciar letra feia de Disgrafia

Por: Joyce Nogueira
Saiba diferenciar letra feia de Disgrafia
 Antes dos computadores e tablets, era comum os pais darem um caderno de caligrafia para as crianças, que passavam horas treinando para ter a letra bonita. Por conta do uso constante do teclado, os pequenos perdem cada vez mais a habilidade de escrever. No entanto, a família deve estar atenta às letras dos filhos em idade escolar, pois ter a letra feia pode ser mais do que preguiça de escrever. Pode ser disgrafia.
Luciana Brites
 A disgrafia é um Transtorno de Aprendizagem de origem neurobiológica que afeta 2 a 3 % da população. Segundo a psicopedagoga da NeuroSaber Luciana Brites, esse problema pode vir sozinho ou acompanhado por outros transtornos de aprendizagem como, por exemplo, dislexia, Transtorno não verbal, além de outros neuro-comportamentais, como Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) e o Transtorno do Espectro Autista (TEA).
  De acordo com a especialista, uma das caraterísticas da disgrafia é dificuldade crônica e persistente na habilidade motora e espacial da escrita, levando a uma expressão gráfica inadequada e deficitária. “Outro fator é a dor ou incômodo frequente para escrever, pressão excessiva no lápis e no papel, troca constante de letra ora cursiva, ora bastão. ”
  - A diferença de letra feia e disgrafia é que a primeira vai melhorando com a idade e com as intervenções, ou quando se pede para escrever com calma, a ponto de um dia a escrita se tornar caligráfica, ou seja, perfeita. Já a disgrafia expressa uma grafia sempre ruim e alterada e que gera um constante desprazer e incômodo em quem escreve -  mesmo atingindo a idade prevista para escrever adequadamente.
  A psicopedagoga diz que para ajudar a desenvolver a habilidade do aluno e melhorar o desenvolvimento escolar é importante um bom trabalho de esquema corporal, onde se percebe as partes do corpo, braços para chegar até as mãos. Outra dica é ligada a atividades de fortalecimento das mãos e dos dedos. Ela aconselha o uso de massinha, por poder trabalhar com a mão inteira. “É possível amassar o material com alguns dedos, fazer objetos e formas desenvolvendo habilidades do aluno”.
  - Pintura com tintas, por exemplo, também é interessante. Pode-se fazer atividades com giz de cera, pintura com guache utilizando os dedos, pincel e esponja. O bom é que essas atividades podem ser feitas no papel na horizontal (em cima da mesa ou no chão) como na vertical colando o papel na parede e pedindo para as crianças desenharem ou pintarem – reforça.
   Luciana também ressalta a importância da utilização de brinquedos de montar, como, por exemplo, Lego, quebra-cabeças e encaixes. Ela observa também que as atividades de percepção visual também devem ser feitas com os pequenos.
  - Muitas pessoas não sabem, mas o que guia a mão é o olho, por isso invista em atividades como o jogo dos sete erros, ligue os pontos, brincadeiras com bolhas de sabão, bolas onde a criança tem que acompanhar o movimento das coisas e pegar com a mão - explica.
  Brites comenta que o tratamento deve ser multidisciplinar e acompanhado por especialistas como médico neuropediatra, psiquiatra infantil, psicomotricista, Terapeuta ocupacional, psicopedagogos, fonoaudiólogos e psicólogos. “ Em alguns casos é necessária a medicação quando, por exemplo, existem comorbidades com o TDAH”.
  Para a profissional, é fundamental para o tratamento dos pequenos que os pais e professores possam buscar conhecer melhor o Transtorno. Outra dica é nunca comparar a criança com outras. “Nunca compare seu filho ou aluno com ninguém só o compare com ele mesmo, como quando ele não conseguia e conseguiu algo”.
  - Reconheça todo e qualquer esforço, proponha atividades com mínimas possibilidades de errar, e converse sempre com ele sobre suas dificuldades e como podem juntos melhora-las - conclui.

Sobre Luciana Brites:
Uma das fundadoras da Neuro Saber, Luciana Brites é Pedagoga especializada em Educação Especial na área de Deficiência Mental e Psicopedagogia Clínica e Institucional pela Unifil Londrina. Também é especialista em Psicomotricidade pelo Instituto Superior de Educação Ispe – Gae São Paulo, além de coordenadora do Núcleo Abenepi em Londrina.

Sobre a Neuro Saber (www.neurosaber.com.br)
O projeto nasceu da necessidade de auxiliar familiares, professores, psicólogos, fonoaudiólogos, psicopedagogos, terapeutas ocupacionais, médicos e demais interessados na compreensão sobre transtornos de aprendizagem e comportamento. A iniciativa tem como objetivo compartilhar informações valiosas para impactar as áreas da saúde e educação, além de unir especialistas do Brasil e do exterior.

********************************************************************************
Tecnologia de Ponta
Para ler o 1º jornal On Line da Baixada Fluminense, siga a faixa laranja à direita, até o topo, e, clique na capa miniatura. Aguarde uns segundos, e, após abri-la, para aumentar a dimensão, use o 'mause' numa bolinha sobre linha horizontal, fazendo com que corra para a direita . Depois é só correr o mause nos quadrantes das páginas. Para mudar de página clique nas setas ao lado das páginas

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Eu Paraquedista do Exército

Por: Wandemberg - Editor da Folha do Iguassú e PQD - 17.774 - Baiuca - Lançamento Pesado
Eu Paraquedista do Exército
  "Brasil Acima de Tudo!" 
 Era Junho de 1968. Dentro de alguns minutos iria abandonar pela 1ª vez um avião em pleno vôo, e, após seis meses de intenso treinamento físico, mental e psicológico, realizar o sonho de conquistar, definitivamente: Brevet, boina vermelha, bute marrom e me tornar, até o último dia da minha vida, um Paraquedista do Exército Brasileiro! Um orgulho! Um privilégio! Uma realização!
  Ali, com meus companheiros de tropa, jovens com idade entre 16 e 18 anos, cada qual equipado com dois paraquedas – o principal e o reserva - um filme povoou minha mente, com a sequência de cenas dizendo como fui parar no interior daquele avião, um C-119, do qual dentro de instantes iria fazer o meu 1º salto de paraquedas, na condição de Paraquedista do Exército Brasileiro
  Naquele momento enfrentava o desconhecido, nunca houvera, sequer, entrado em um avião, o máximo que me aventurara em termos de altura fora subir na jaqueira do quintal de minha casa e andar de elevador. De repente me vejo dentro de uma aeronave, circulando a Igreja da Penha, vendo o Corcovado bem ao lado, o Pão de Açúcar, curtindo a imensidão do oceano, e, o trem da Central do Brasil como se fosse uma centopeia serpenteando lá por baixo. Será que não estaria sonhando? Não, felizmente não estava! O que estava acontecendo era a realização de um "sonho" que, desde que acompanhei um amigo no dia de sua "Baixa" da Aeronáutica, se tornara uma compulsão! 'Deus existe', pensei!
  Ainda, hoje, me lembro do exato momento em que tomei ciência da existência da 'garbosa Tropa de Elite'. Era novembro, e, o ano de 1967 se aproximava do fim. Meu amigo Décio, já, falecido, iria 'dar baixa' da Aeronáutica e convidou um grupo de amigos do futebol, para ir participar da cerimônia lá na 'Cidade' - era assim que nos referíamos ao Rio de Janeiro, posto que, Miguel Couto, onde morávamos, era considerado 'roça'- Achei legal, lá no Campo dos Afonsos visitamos o hangar de um museu onde estava o famoso XIV Bis (não sei se réplica), que fez história com o “Pai da Aviação” Santos Dumont, bem como outros aviões do famoso “Senta a Pua”, grupo que participou da II Guerra Mundial – ORGULHO, com letras maiúsculas, da nossa querida Aeronáutica e de todos os Brasileiros!
  Já havíamos assistido a emocionante cerimônia de despedida de Décio e seus pares. Era hora de regressarmos, o relógio marcava 13 horas foi quando olhei para uma pista secundária, onde um grupo de rapazes de uniforme camuflado em tons predominante de verde e marrom, estavam sentados em fila, cada qual meio que deitado em uma espécie de mochila presa às costas, e, com uma mochilinha ao peito. Intrigado indaguei ao Décio, sobre, quem eram aqueles com mochilas? No que respondeu, são Paraquedistas do Exército e não são mochilas, são paraquedas! E o que estão fazendo ali, perguntei? -Estão esperando o avião para saltarem de paraquedas, respondeu-me!
 
Logo depois um avião que acabara de pousar tragou para seu interior, em questão de minutos, os rapazes e alçou vôo. Vinte ou vinte e cinco minutos depois o avião lançou a equipe, sob meu olhar incrédulo de 'matuto'! Fiquei impressionado e falei para os amigos que queria ser um daqueles, meses depois me alistei no Exército e pedi para ir para a tropa voluntária de Paraquedistas!
Mas não era fácil, 'ralamos' muito! Era exercício o dia inteiro, e, quase sempre com os dois paraquedas: o pequeno reserva no peito, e, o principal às costas! Até o lanche das 10h., uma mariola e um caneca de lanjal (suco de laranja) eram deglutidos, com a turma equipada com os paraquedas, sem sentar e saltitando. Não tinha 'moleza', ali, no curso o movimento constante era obrigatório, ninguém podia parar. Quem parasse na área de estágio, exceto na hora do almoço, estava desligado sumariamente do curso, e, não poderia mais ser paraquedista, sendo imediatamente transferido para um quartel de outra especialidade.
  No final nós que vencemos as primeiras fazes fomos, em pleno inverno, para a Mata em Xerém, para o treinamento de Guerrilha na Selva, Fuga e evasão, etc... Foi uma semana, em clima de guerra o tempo todo, dia e noite. Vez por outra éramos submetidos à tortura, choques, mergulho em rios de água gelada em plena madrugada, confronto com as patrulhas de paraquedistas já formados, momento em que 'tampávamos' na porrada com tropas inimigas simuladas... Em Xerém só os muito bom logravam vencer, muitos foram desligados, me orgulho de dizer que venci os obstáculos surgidos, por isso estava ali naquele avião, para o salto da vitória, revendo as cenas do filme que me vinha à cabeça! Foi quando uma luz verde, acionada pelo piloto começou piscar intermitentemente! Era a ZL (zona de lançamento) se aproximando.
  Logo surgiu o comando efetivado pelo 'Mestre de Salto', um oficial: “Preparar! Levantar! Enganchar! Verificar equipamento! À Porta! Já!"
  E, lá fomos nós Céu abaixo, ladeados pelos anjos do senhor que, embora invisíveis, sabíamos que estavam por perto para nos saldar! Afinal de contas estávamos no céu, e, não é lá a pátria de Anjos, Deuses e Paraquedistas?



********************************************************************************
Tecnologia de Ponta
Para ler o 1º jornal On Line da Baixada Fluminense, siga a faixa laranja à direita, até o topo, e, clique na capa miniatura. Aguarde uns segundos, e, após abri-la, para aumentar a dimensão, use o 'mause' numa bolinha sobre linha horizontal, fazendo com que corra para a direita . Depois é só correr o mause nos quadrantes das páginas. Para mudar de página clique nas setas ao lado das páginas

Delegado do CRCRJ em Nova Iguaçu recebe homenagem na OAB/RJ


Por: Rafael Marinho
Delegado do CRCRJ em Nova Iguaçu recebe homenagem na OAB/RJ
 Nesta terça-feira (21) o delegado do Conselho Regional de Contabilidade do Rio de Janeiro - CRCRJ em Nova Iguaçu e região, Jorge Miguel de Moura, recebeu uma homenagem da Comissão de Direitos Humanos da OAB de Bangu, pelos relevantes serviços prestados a sociedade.
 Estiveram presentes diversas autoridades e personalidades como o presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB de Bangu, Dr. Márcio Benedito; o presidente da Caarj, Marcelo Oliveira; o 1° Secretário da Procuradoria Geral Da República, Dr. Andre Said; O presidente da Rádio Roquete Pinto (94,1 FM), Fernando Ribeiro; o diretor financeiro da Caarj, Dr. Renan Aguiar; o presidente de associação de imprensa da Barra da Tijuca, Manoel Lopes; o empresário e ex-presidente do Clube de Regatas do Flamengo, Edmundo Santos Silva; o ex-prefeito de Tanguá, Carlos Pereira; o presidente da Comissão de Políticas sobre Drogas da OAB/RJ, Dr. Wanderley Rebello Filho, entre outros.
 Na ocasião, o delegado Jorge Miguel, representou o vice-presidente do CRCRJ, Waldir Ladeira, para receber homenagem prestada pela Câmara Municipal de São João de Meriti, através do vereador Giovani Ratinho.
 Durante a solenidade tiveram diversos outros homenageados e foi realizada no Plenário José Ribeiro de Castro Filho, auditório da Caarj no Centro do Rio.

********************************************************************************
Tecnologia de Ponta
Para ler o 1º jornal On Line da Baixada Fluminense, siga a faixa laranja à direita, até o topo, e, clique na capa miniatura. Aguarde uns segundos, e, após abri-la, para aumentar a dimensão, use o 'mause' numa bolinha sobre linha horizontal, fazendo com que corra para a direita . Depois é só correr o mause nos quadrantes das páginas. Para mudar de página clique nas setas ao lado das páginas

Trem da Harmonia - Dia Nacional do Samba na Praça do Jardim Tropical


Por: Sergio Cara Preta
 Trem da Harmonia - Dia Nacional do Samba na Praça do Jardim Tropical
 O Trem da Harmonia Destino Baixada, estará na Praça do Jardim Tropical, em Nova Iguaçu, comemorando o Dia Nacional do Samba e homenageando o cantor e Compositor CABORÉ com os Grupos: Quem Sabe é Nois, Grupo Trem da Harmonia e a Cantora Linda Baobá.
  É no sábado dia 02 de Dezembro Dia Nacional do Samba.


********************************************************************************
Tecnologia de Ponta
Para ler o 1º jornal On Line da Baixada Fluminense, siga a faixa laranja à direita, até o topo, e, clique na capa miniatura. Aguarde uns segundos, e, após abri-la, para aumentar a dimensão, use o 'mause' numa bolinha sobre linha horizontal, fazendo com que corra para a direita . Depois é só correr o mause nos quadrantes das páginas. Para mudar de página clique nas setas ao lado das páginas

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Espaço de bronzeamento natural faz sucesso em Miguel Couto, Nova Iguaçu

Deborah Abreu (foto) é modelo oficial do Espaço de Bronzeamento Natural Pink Bronze e, inclusive, recentemente, participou do concurso 'Marquinha Perfeita', promovido pelo programa Balanço Geral/RJ, da TV Record.
Por: Rafael Marinho 
Espaço de bronzeamento natural faz sucesso em Miguel Couto, Nova Iguaçu
 A mulherada de Miguel Couto, distrito de Nova Iguaçu, não tem falado de outro assunto que não seja o Espaço de Bronzeamento Natural Pink Bronze, o único especializado no serviço de bronzeamento natural na região e que também oferece diversos tratamentos estéticos corporais.
 Além do bronzeamento o espaço também disponibiliza os seguintes serviços na área de estética: carboxiterapia, radiofrequência, drenagem linfática, limpeza de pele, eletrolipólise, redução de medidas, entre outros.
 A esteticista e empresária Luana Ricci é a proprietária do espaço destinado exclusivamente para o público feminino, falou sobre como surgiu a ideia de investir neste empreendimento que está completando dois anos neste fim de ano.
 "Apesar de o serviço de bronzeamento natural ter explodido na mídia recentemente, já trabalhamos no ramo há 2 anos. Essa expertise tem sido fundamental para nosso sucesso. Agradeço a Deus em primeiro lugar e também a todas minhas clientes e equipe. Em breve estaremos inaugurando um espaço ainda mais amplo com o conforto e comodidade que essa mulherada linda e maravilhosa merece.", disse Luana.
 O Espaço de Bronzeamento Natural Pink Bronze fica na Estrada do Iguaçu, nº 467 - Próximo a Academia Garras Feminina. 
 O agendamento de horário pode ser feito pelo zap através do número 21 965952187
 Algumas fotos de clientes podem ser vistas no instagram @pinkbronzelu
 Deborah Abreu (foto) é modelo oficial do Espaço de Bronzeamento Natural Pink Bronze e, inclusive, recentemente, participou do concurso 'Marquinha Perfeita', promovido pelo programa Balanço Geral/RJ, da TV Record.

********************************************************************************
Tecnologia de Ponta
Para ler o 1º jornal On Line da Baixada Fluminense, siga a faixa laranja à direita, até o topo, e, clique na capa miniatura. Aguarde uns segundos, e, após abri-la, para aumentar a dimensão, use o 'mause' numa bolinha sobre linha horizontal, fazendo com que corra para a direita . Depois é só correr o mause nos quadrantes das páginas. Para mudar de página clique nas setas ao lado das páginas

ALERJ VOTA CONTRA PRISÃO DE DEPUTADOS

Por: Camilla Pontes/Foto LG Soares
ALERJ VOTA CONTRA PRISÃO DE DEPUTADOS
 Após a decisão da Casa, deputados foram soltos no fim da tardeCom 39 votos favoráveis, 19 contrários e uma abstenção, os deputados da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovaram, nesta sexta-feira (17/11), o projeto de resolução 577/17 que revoga a prisão do presidente da Casa, deputado Jorge Picciani, do deputado Paulo Melo e do líder do Governo, deputado Edson Albertassi, todos do PMDB.
 A decisão da Casa também determina que eles retomem o exercício regular do mandato. Logo após a sessão, um funcionário da Mesa Diretora foi à Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte, para entregar um ofício comunicando a decisão do Legislativo sobre a soltura dos deputados, o que ocorreu no fim da tarde.
 A prisão foi determinada na última quinta-feira (16/11), com a decisão do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2). Apos a determinação, os parlamentares se apresentaram à sede da Polícia Federal, no Centro da capital.

CCJ
Mais cedo, por quatro votos a dois e uma abstenção, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Alerj, presidida pelo deputado Chiquinho da Mangueira (PODE), deu parecer favorável ao relatório do deputado Milton Rangel (DEM). O documento, transformado no Projeto de Resolução 577/17, cita as Constituições Federal e Estadual, que determinam, em seus artigos 53 e 102, respectivamente, que cabe ao parlamento decidir sobre medidas cautelares aplicadas a seus integrantes. "O afastamento do mandato, consequência ou não da prisão, subtrai do povo a atuação dos parlamentares que ele elegeu", afirmou o deputado.

Divergências
No plenário, antes da votação, quatro deputados falaram por oito minutos cada, dois a favor da soltura, André Corrêa (DEM) e André Lazaroni (PMDB) e dois a favor da manutenção da prisão, Luiz Paulo (PSDB) e Marcelo Freixo (PSol). "Não estou aqui pra defender colegas de partido ou julgar supostos crimes. Se alguém é culpado de algum crime, ele será julgado e condenado. Este não é o momento. Não existe razão para a prisão preventiva dos deputados, segundo a Constituição Federal", defendeu Lazaroni.
 Freixo disse que a decisão não dialoga com a necessidade da democracia. “Isso não dialoga com o sentimento do povo. Foram cinco votos no TRF pela prisão preventiva dos deputados. A Alerj está distante desse interesse ao votar para soltar, pois presta um desserviço à sociedade nesse momento”


********************************************************************************
Tecnologia de Ponta
Para ler o 1º jornal On Line da Baixada Fluminense, siga a faixa laranja à direita, até o topo, e, clique na capa miniatura. Aguarde uns segundos, e, após abri-la, para aumentar a dimensão, use o 'mause' numa bolinha sobre linha horizontal, fazendo com que corra para a direita . Depois é só correr o mause nos quadrantes das páginas. Para mudar de página clique nas setas ao lado das páginas